Novidades
segmento de manufatura

Sexta-feira, 1 de julho de 2011
Case: IndusParquet investe em crescimento

A fabricante brasileira de pisos de madeira IndusParquet investiu na ampliação do controle das operações, reestruturação dos processos internos e otimização dos resultados dos negócios através do Mega Manufatura.

A Indusparquet, indústria brasileira do setor madeireiro, utiliza há dois anos o Mega Manufatura, sistema de gestão empresarial (ERP) desenvolvido pela Mega Sistemas Corporativos. Com o apoio da solução a companhia ampliou o controle das operações internas e melhorou o gerenciamento de custos de produção, além de preparar a empresa para a adequação ao SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).

Determinada a dedicar um investimento inicial expressivo para encontrar a melhor solução, em 2009 a Indusparquet realizou uma intensa análise de critérios que pudessem garantir a escolha ideal, priorizando referências de mercado, custo benefício, know how dos profissionais envolvidos, prazo de implantação e consistência da solução.

Foi assim que o Mega Manufatura tornou-se o sistema de gestão responsável por atender todas as necessidades da empresa. Desenvolvido para controlar todos os processos internos da operação e os custos do negócio, o ERP permite controlar todos os processos produtivos, planejamento de necessidades futuras, estoque, compras, recursos alocados e uma organização das informações que possibilita ter uma visão mais rápida do andamento das ações internas através de informações simples e efetivas.

Jair Chavarski, diretor de finanças da Indusparquet e responsável pelo projeto, explica que o grande diferencial foi o atendimento completo às necessidades da empresa. “O controle dos custos de produção e a potencial de adaptação da solução às particularidades do negócio foram essenciais para a escolha do produto”, afirma.

Flexibilidade e Integração

Após um mapeamento completo das necessidades do cliente, a Mega desenvolveu um projeto a fim de estruturar as demandas de processos internos com a flexibilidade necessária para atender as necessidades específicas da Indusparquet. O investimento realizado foi de R$ 600 mil e proporcionou mais agilidade na troca de informações internas e no controle dos processos, integrando todas as áreas da empresa e atendendo às exigências fiscais dos organismos federais e estaduais.

Para Chavarski, um sistema de gestão inteligente permite uma integração maior entre os departamentos e colaboradores, proporcionando atividades mais efetivas e gerando ganhos consideráveis da produção. “A integração do sistema de informação interno permitiu um efeito crescente de resultados positivos, pois o controle e a sinergia de processos permitiram a multiplicação de ações e decisões mais rápidas e eficazes dentro da companhia”, analisa.

Segundo ele, o primeiro resultado notável foi a aproximação entre as equipes e departamentos, visto que o projeto auxiliou na reestruturação da companhia como um todo para a busca de melhores resultados. “Muitas vezes é necessário promover mudanças nos processos internos para ter uma melhor aderência da solução tecnológica, e não o contrário.”

Controle e Economia

Outra vantagem do projeto é o controle de compras e estoques, pois a empresa deixou de comprar itens desnecessários, adotando uma política mais agressiva de cobertura, já que a gestão de processos permite a visualização mais ampla do fluxo de materiais. Como consequência, a empresa economizou custos e despesas com transporte, já que a logística tornou-se mais objetiva por meio de informações concretas e confiáveis para as tomadas de decisões.

Walmir Scaravelli, diretor e fundador da Mega, explica que empresas de qualquer setor se destacam quando passam a controlar as operações internas e desenvolver mecanismos inteligentes para otimizar as ações e a capacidade de gerir atividades dos colaboradores. “Muitas atividades passam despercebidas pelos gestores das empresas, porém quando começam a ser controladas, podem gerar muitas vantagens aos negócios. Por isso, a Mega desenvolve sistemas pensando nas necessidades de cada cliente, evitando os gargalos específicos de cada setor”, explica.

Mesmo com um investimento inicial significativo, Chavarski acredita que os resultados vão muito além do mensurável, pois geram uma cadeia de benefícios no longo prazo que superam rapidamente o investimento inicial, desde a economia com custos desnecessários, ganho na produtividade, redução de riscos com decisões mais seguras e acertadas e até mesmo a identificação de oportunidade fiscais. “Após a implementação do ERP da Mega, observamos uma empresa mais organizada e eficiente, além de colaboradores mais seguros, que sabem que podem contar com uma tecnologia inteligente para auxiliar suas atividades cotidianas, otimizando seu tempo e auxiliando nas adequações fiscais exigidas no país. Com isso, conquistamos o mais importante, que é oferecer serviços e produtos com ainda mais rapidez e qualidade ao mercado”, completa Chavarski.

Trabalho em Equipe

Para Chavarski a organização do projeto e o trabalho em equipe foram outro ponto fundamental para a realização do projeto. “O sucesso de um projeto depende de vários fatores como a organização do projeto, qualidade e confiabilidade do software e experiência dos consultores que farão a implantação. Mas o ponto chave está na parceria que se estabelece entre a empresa de software e o cliente, em que confiança e credibilidade são essenciais.”

Com reuniões periódicas para conduzir a execução das atividades e acompanhar a evolução do planejamento, o comprometimento da equipe de implantação e a atuação do líder do projeto alcançaram resultados que beneficiam hoje mais de 120 usuários diretos e indiretos. E mesmo após o término da implantação, Chavarski afirma que a parceria permanece ativa. “A relação entre as empresas não pode terminar após o projeto, muito pelo contrário, deve se fortalecer para que as inovações tecnológicas e as oportunidades de melhorias identificadas pelo cliente sejam compartilhadas entre as partes, gerando dessa forma uma sinergia com resultados positivos para todos os envolvidos”.


Voltar