Quarta-feira, 23 de setembro de 2015
MEGA EXPANDE CAPILARIDADE DO TIME DE SERVIÇOS

Com a iniciativa de suas unidades a equipe passa a contar com 120 consultores atuantes nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do país para atender todos os segmentos da companhia.

No ano em que comemora 30 anos de atividades, a Mega Sistemas Corporativos¸ empresa que oferece soluções de gestão empresarial para os mercados de Construção, Manufatura, Logística, Combustíveis, Agronegócios e Serviços, apresenta algumas novidades. E entre elas está a expansão da área de Serviços, que registrou um crescimento de 50% sob a gestão do executivo Marcos Malagola nos últimos três anos e agora ganha um novo reforço através da unificação dos times de Minas Gerais, Recife e Natal.

No caso da Unidade Mega Minas, inaugurada em 2010, inicialmente as atividades eram concentradas apenas em Belo Horizonte. “Com o sucesso da operação, decidimos atuar em outras regiões estratégicas do estado, como Ipatinga e Pouso Alegre. Nosso objetivo é ganhar mais solidez e capilaridade e, com isso, atender nossos clientes com maior proximidade”, explica Malagola.

Já no caso da operação Mega Nordeste, a unificação permitirá ampliar ainda mais a presença Mega na região e agregar maior número de consultores dedicados aos clientes da região, que serão acompanhados pelo gestor Edson Freitas e seguirão a metodologia e processos do time de Malagola. De acordo com o diretor, a eficiência já vivenciada pelos canais de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba apoiarão o crescimento da consultoria nessas regiões. “Nestas unidades, já possuíamos equipes de serviços consolidadas, que utilizavam metodologias eficientes e de qualidade. Ao promover a unificação da operação com as operações Minas e Nordeste, pudemos difundir todo este know-how, o que trouxe mais agilidade e expertise à equipe responsável pelos sistemas ERP”, complementa.

Com a unificação, a Mega passou a contar com mais de 150 profissionais alocados somente na área de serviços, responsáveis pelo atendimento nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do país. Para ter uma ideia da importância da unificação para o canal mineiro, apenas oito colaboradores faziam parte da equipe no início de suas atividades. Hoje, já são mais de trinta profissionais que compõem as áreas de vendas e serviço.

 E para Malagola, desafios não faltam. “Em cada uma de nossa operações o maior objetivo é manter a mesma qualidade, padrão e método de atendimento já desenvolvido nos demais estados do Brasil que contam com a presença da Mega”, finaliza o diretor.

 

MARCOS MALAGOLA
De estagiário a diretor, uma trajetória de sucesso na Mega Sistemas Corporativos!

Desde que começamos a estudar ainda crianças, a pergunta que mais ouvimos é “o que você quer ser quando crescer?”. De médico a engenheiro e professor, apenas para citar as mais tradicionais, são inúmeras as profissões que passam pela nossa cabeça ao longo dos anos. Provas, trabalhos e noites em claro, por exemplo, são incorporados a nossa rotina até o último dia de aula da graduação. Mas, um pouco antes de concluir o curso, a vida de estudante ganha a companhia da profissional. Neste momento, todos começam a pensar no primeiro estágio, o pontapé para dar início a uma desejada bem-sucedida carreira.

Ser estagiário é ter a oportunidade de entrar em contato com tudo aquilo o que se aprende na sala de aula. A teoria dá lugar à prática e a profissão escolhida começa a tomar corpo. E trabalho é o que não falta e o verbo desistir até pode rondar muita gente, mas não é levado em consideração por quem quer ir cada vez mais adiante. E este foi o caso de Marcos Paulo Malagola.

Em 1999, ele fazia a faculdade de Gestão em Tecnologia da Informação, quando conheceu o sócio-fundador e diretor comercial da Mega Sistemas Corporativos S.A., Walmir Scaravelli. Na época, a empresa contava com pouco mais de vinte colaboradores e passava por um período de crescimento. Malagola, como é mais conhecido, trabalhava como Assistente Financeiro em outra empresa. No entanto, um novo caminho profissional estava a sua frente. Com o surgimento de uma oportunidade, ele trocou o emprego por um estágio na área de suporte da Mega.

Foi o passo inicial do que viria a ser uma longa carreira dentro da empresa. Meses depois, ele migrou para a área de consultoria. “Foi uma ótima oportunidade e um grande desafio. Este período marcou muito a minha vida. Pela primeira vez, viajei de avião. Era uma época em que este tipo de viagem não era tão comum como hoje e fiquei seis meses trabalhando em um projeto na cidade de Recife, Pernambuco. Aprendi a ser consultor, a entender de negócios e, paralelo a isso, consegui concluir a minha graduação. Foi uma vitória para mim. O tempo era curto, a correria era enorme, mas ainda assim consegui finalizá-la dentro do tempo previsto”, relembra.

E ele não parou por aí. Ao começar a se familiarizar com o departamento da Mega direcionado à indústria, ele se viu diante do desafio de ir para o canal da empresa em Belo Horizonte, em Minas Gerais. E foi. Ficou três anos na capital mineira como integrante da equipe comercial. “Foi uma experiência extremamente enriquecedora. Pela primeira vez, morei sozinho e voltei a estudar, fiz um MBA em Gestão Executiva. Então, eis que recebi um convite para trabalhar em outra empresa, a Metropolitan, ainda cliente da Mega. Naquela ocasião, eu decidi apostar nesta mudança. Trabalhei quatro anos como gestor de TI (mudanças, logística, trade e comércio exterior). Foi algo que acrescentou muito a minha vida profissional. Mas, minha história com a Mega ainda não havia acabado. Numa conversa, perguntei ao Walmir (Scaravelli) se ainda tinha lugar para mim e ele respondeu: ‘Não sei o que você vai fazer, quanto você vai ganhar, mas tem uma vaga para você, sim’. Naquele ano, o mercado de construção estava em pleno aquecimento e, mais uma vez, estava diante de um novo desafio”, conta Malagola.

A sua frente, estava a tarefa de formar a equipe que seria responsável pela área de serviços do Mega Construção. Eram sete pessoas e ele era o coordenador de projetos. Não fazia ideia de como era a área e não pensou duas vezes em se capacitar por meio de um MBA em Gestão da Construção Civil pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Mais uma vez, a decisão foi acertada. De uma equipe composta por sete pessoas em 2008, ela passou para 50 em 2010. “Consegui trazer bons profissionais para a Mega e pude consolidar a premissa da empresa, que é crescer sem perder a qualidade”, diz com orgulho.

Mais uma vez, o reconhecimento não demorou a chegar. Em 2012, foi promovido a diretor de Serviços e Construção. Hoje, a equipe conta com mais de 100 pessoas e, entre as conquistas, estão a consolidação das operações em São Paulo, no Rio de Janeiro e na região Sul do país. “Tive a sorte de estar no lugar certo, na hora certa. Mas, a sorte por si só não gera sucesso. Corri atrás, estudei, me preparei. Tenho o maior prazer em montar as equipes, me dedico a isso, gosto de compartilhar conhecimento, de buscar soluções junto ao grupo, de crescer e querer fazer diferente”, afirma.

De acordo com Malagola, a Mega é uma empresa que oferece oportunidades de crescimento e incentiva o desenvolvimento entre os seus colaboradores. “Existem empresas que param no tempo e o colaborador que vira uma espécie de mobília, um item do imobilizado. Aqui sempre me proporcionaram novos caminhos e me incentivaram a ir cada vez mais além. E hoje consigo proporcionar isto para a minha equipe, com pessoas que conheço desde 1999 e outras que foram chegando com o passar dos anos”, complementa.

Seu comprometimento vai além do dia a dia dentro da empresa. Os projetos sociais também fazem parte de sua rotina. Entre eles, ações como pinturas solidárias na APAE de Itu, interior de São Paulo e cidade sede da companhia, a participação em doações de cestas básicas, no grupo Doadores da Alegria (responsável por fazer visitas em hospitais de Itu durante os fins de semana) e o projeto Mega Cidadão. “Neste projeto, selecionamos jovens com idades entre 14 a 18 anos da região para um processo de inclusão social e inserção no mercado de trabalho”, ressalta Malagola. “Estar comprometido com ações como estas me deixam mais completo porque não é apenas uma questão de contribuir financeiramente, mas, principalmente, por dedicar tempo ao próximo”, explica. “E eu sei o quanto isso é importante. Meu pai era pedreiro, minha mãe dona de casa e hoje tenho a maior satisfação em ajudá-los. Foram cerca de 30 anos que ele passou trabalhando duro para eu poder estudar. Ele sempre me dizia: ‘Não tive oportunidade de me formar, mas você terá. Vá, estude e cresça’. Segui e continuo seguindo o seu conselho”, revela emocionado.

E objetivos não faltam. “Nosso desejo é ampliar e manter o nosso portfólio de clientes, melhorar ainda mais a nossa gestão interna e trabalhar para proporcionar cada vez mais qualidade aos nossos clientes”, finaliza Malagola.


Voltar