Quinta-feira, 25 de junho de 2015
MEGA DIVERSIFICA ATUAÇÃO NO RIO DE JANEIRO

Filial fluminense também é especializada no setor de serviços.

Em 2014, a Mega Sistemas Corporativos, empresa que oferece soluções de gestão empresarial para os mercados de Construção, Manufatura, Logística, Combustíveis, Agrobusiness e Serviços,se tornou uma empresa “S.A.” de capital fechado. Com isto, a companhia, sediada em Itu, estado de São Paulo, aperfeiçoou ainda mais os seus processos de gestão e deu início a um novo ciclo ao assinar um acordo de fusão com a Mega Curitiba.

Paralelamente a esta fusão, também foram unificadas as demais operações na região Sul do país e nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, o que possibilitou a criação de uma única empresa com gestão direta de toda a carteira de clientes. E diante deste contexto, não poderia ser diferente considerar, ainda mais, a importância do mercado fluminense para consolidação da Mega na região.

Omercado no estado do Rio de Janeiro tem um potencial diferenciado no segmento de Serviços. De acordo com o diretor regional da filial Mega Rio de Janeiro, Everton Bonato, a empresa sempre foi conhecida na região como especialista no Segmento de Construção. Mas, isto vem mudando ao longo dos últimos anos. “Logo que lançamos o produto voltado para o segmento de Serviços, tivemos uma abertura muito grande em empresas prestadoras de serviços para nossos próprios clientes, como Construtoras e Incorporadoras. Estas empresas atuam com locação de equipamentos para Infraestrutura, Manutenção, Instalações, Terceirização de Mão-de-Obra, Limpeza, Conservação e Gestão de Facilities. Para ter uma ideia do que isto representa, trata-se de, aproximadamente, 1.500 companhias com potencial para nosso ERP desenvolvido especialmente para o setor”, explica.

Outro dado relevante diz respeito ao número de clientes. Em função da fusão realizada em 2014, a regional carioca iniciou 2015 com o dobro da clientela do ano passado, que já vinha com um crescimento de 20% ao ano. “O segmento de Construção representa 60% da nossa carteira de clientes no Rio de Janeiro. Em seguida, vem Serviços (20%), depois Manufatura (15%) e, por fim, Combustíveis (5%)”, detalha Bonato.

Seguindo a premissa da empresa que tem como estratégia formar equipes especialistas para cada segmento, o canal fluminense iniciou no mercado local campanhas de sub-segmentação. “No setor de Construção por exemplo, posicionamos as equipes em quatro núcleos de atuação: Construção Pesada, Construção Civil, Urbanismo e Incorporação. A partir disso, conseguimos realmente entender o que cada cliente precisa e, então, oferecer a solução ideal. A mesma estratégia foi potencializada para o segmento de Serviços. Criamos as campanhas ordenadas para três subsegmentos: Gestão de Projetos, Assistência Técnica e Manutenção”, conta o diretor. “Este direcionamento gera um grande envolvimento com diversas áreas como Produto e Desenvolvimento; também com a equipe de Geração de Demanda de Mercado; com os Consultores de Vendas, Pré-Vendas; Pós-vendas e de Negócio; com a Coordenação de Projeto; bem como Atendimento e Relacionamento. Todos alinhados para falar a mesma língua de cada subsegmento. Manter uma estrutura como esta requer um alto investimento. No entanto, sabemos que este é o caminho mais assertivo a ser seguido”, informa.

Bonato acredita que, cada vez mais, será necessária a adoção de sistemas para Gestão dos Contratos, uma vez que é grande o volume de terceirizações na região. “Todos os esforços da Mega estão canalizados em prol do desenvolvimento e do aperfeiçoamento de ferramentas que permitem a mobilidade por meio do acesso rápido às informações utilizando tablets e smartphones”, complementa.

Entre os desafios para o mercado no Rio de Janeiro estão a capacitação de pessoas e a retenção de talentos. Para solucioná-los, a Mega redesenhou a estrutura de Treinamentos e criou uma academia de formação em cada segmento. Ela conta com ferramentas do Ensino a Distância (EAD), treinamentos presenciais e monitoramento especializado. Além disso, os colaboradores também passam por avaliações periódicas a fim de continuarem se desenvolvendo ao longo da carreira. “Vale destacar que esses treinamentos contam pontos para o programa de talentos da Mega. Uma pessoa pode começar como Analista Junior e chegar a Especialista, por exemplo. Quanto mais estudar e desempenhar o seu trabalho com assertividade e comprometimento, mais o profissional poderá desenhar seu futuro profissional na empresa”, destaca o executivo.


Voltar