Sexta-feira, 8 de julho de 2011
Empresas voltam a se interessar em adotar ERP

Companhias estão à procura de atualizações do atual sistema de gestão e pensam na possibilidade de implementar a plataforma na modalidade SaaS.

Para fornecedores de soluções de ERP e usuários, o mercado de tecnologias de gestão, que estava caminhando lentamente nos últimos dois anos, está ganhando força novamente.

Talvez seja devido à notícia um pouco mais otimista sobre a economia mundial. Ou por causa da melhoria dos relatórios corporativos que estão mostrando para as empresas novas promessas a cada semana. Também pode ser apenas porque os líderes empresariais estão pensando positivamente sobre o bom momento do mercado, que respira aliviado após a recessão de 2009.

Seja o que for, as companhias estão novamente avaliando formas de melhorar seus sistemas de ERP para poder reforçar as operações. Isso é notável, de acordo com China Martens, analista de aplicações do instituto de pesquisas Forrester Research.

Essa é uma mudança pequena, mas positiva sinalizada desde o início do mês passado, quando a Forrester divulgou estudo chamado The State of ERP in 2011 . Antes disso, a maioria das organizações relatava que havia estagnado os investimentos em ERP para 2011 e que não iriam aumentar os gastos. Mas desde que os dados desse estudo foram coletados no ano passado, o cenário começou a mudar um pouco.

"Estamos em um período de evolução", acredita China, que é coautora do estudo junto com o colega analista da Forrester, Paul D. Hamerman. No último outono, quando as entrevistas estavam sendo conduzidas, os clientes tinham visão menos otimista sobre seus planos de ERP para 2011, relata.

"Novas informações de clientes mostram que, hoje, eles estão ativamente à procura de atualizações ou em busca de soluções de ERP", diz China.

Outra grande mudança da visão dos clientes desde o último outono, diz ela, é que hoje as companhias estão discutindo o interesse em ERP baseado no modelo de software como serviço (SaaS), que não era tanto estudado no ano passado. "É algo que eles talvez não estejam considerando ativamente, mas direcionando as atenções."

Segundo China, ofertas de ERP SaaS não são para todas as empresas. Isso porque, diz, o nível de customização ainda não chegou ao nível das capacidades observadas nas suites on premise . Apesar dessa lacuna, é uma opção interessante para os clientes corporativos, que podem ter um sistema de ERP híbrido ao adotar uma mistura do software em casa e opções de SaaS.

"Os clientes terão mais escolha", diz China. "Isso pode ser usado durante a negociação. Por que os clientes devem pagar certa quantia de dinheiro para o licenciamento de software e manutenção, quando também podem obtê-lo a preço mais competitivo usando SaaS?", questiona.

Apesar do brilho do ERP no mercado, ainda há dúvidas sobre ele. Uma questão-chave em curso, de acordo com o estudo da Forrester, é a consolidação contínua de fornecedores no segmento.

"A consolidação do mercado é sempre difícil para os clientes quando acontece", acredita China. "Quando você vê um fornecedor comprar uma empresa em que haja sobreposição dos negócios é certamente um motivo de preocupação e pode afetar a implementação e a estratégia do ERP", afirma.

Atualmente, a Forrester está trabalhando em um novo estudo com foco sobre o futuro do ERP e opiniões sobre sete tendências interessantes no mercado, de acordo com China. "É mais otimista do que pessimista", diz ela. "Não há realmente uma sensação de que os aplicativos de ERP estão mudando e para qual direção vão. A demanda dos clientes é que os aplicativos têm de ser mais utilizáveis.

"Parte disso, se deve à evolução demográfica dos usuários que cresceram usando a internet em comparação com os usuários de ERP do passado que adotaram o software que foi colocado na frente deles", diz. Hoje, novos usuários corporativos de ERP "esperam que as aplicações devem funcionar", diz.

Os fornecedores terão de trabalhar para fazer das soluções de gestão mais úteis, acredita. "Essa é uma das mensagens que temos ouvido de fornecedores, já que agora eles estão incluindo mais capacidades de Business Intelligence no ERP para que os usuários possam fazer consultas de dados e apresentar melhores resultados", avalia ela.

O que isso significa? Que vamos ver aplicações de ERP assumindo algumas características semelhantes a dos videogames? Bem, não vamos nos empolgar, mas alguns desses recursos encontraram caminho em alguns Customer Relationship Management (CRM), de acordo com China. "Estamos vendo isso no CRM e em outros sistemas. Talvez possa acontecer com o ERP", sugere.

Usuários de ERP também estão à procura de recursos de colaboração, de acordo com o estudo. "Temos ouvido muito sobre a colaboração no CRM, mas os fornecedores também querem levar a ideia para o ERP", diz a analista. "Há um caso de forte uso para ele, especialmente no Human Capital Management (HCM). Poderia ser muito útil para reunir grupos de discussões sobre o ERP", finaliza.


Voltar