Novidades
segmento de construção

Terça-feira, 1 de julho de 2014
O lado positivo da crise

O Brasil está passando por um momento impar, sediando o maior evento de futebol do mundo. No entanto, o grito preso na garganta dos brasileiros não é de comemoração. Com a inflação em alta, o PIB em baixa e os empresários reticente, é visível o movimento das empresas reduzindo investimentos e cortando custos.

Mais uma vez cabe ao trabalhados adaptar-se as incertezas do mercado e buscar alternativas para sobreviver em meio a folia do grande pais do futebol. O que fazer então? Esperar a banda passar?

Momentos de crise sempre existiram e sempre existirão. Na verdade é nesses períodos que ocorre uma espécie de limpeza no mercado, onde permanece somente as em​presas e os profissionais que conseguem adaptar e inovar para sobreviver.

Em tempo de mudanças, as empresas estão mantendo seus talentos e trocando os perfis que não estão adequados ou bem adaptados. É preciso ficar atento ao que o mercado busca e entender que alterações sempre são necessárias e podem ser grandes oportunidades de crescimento.

Há cada vez mais pressão por parte dos gestores, com atividades e metas apertadas – sendo assim, o profissional precisa lidar com adversidades, ser ágil e focado nas soluções, além de ser proativo mostrar-se pronto para colaborar sempre. A partir deste comportamento devem despontar novas competências até então não utilizadas, que propiciam desenvolvimento para o profissional e a organização.

A redução de cargos nas empresas proporciona para os que ficam a oportunidade de acumular novas funções e, nesse sentido, é necessário ter inteligência emocional, flexibilidade, visão estratégica e resiliência para aprender se adaptar, se desenvolver e obter os resultados esperados.

Ocorre uma transformação inevitável no mercado, que gera mudança de parâmetros e quebra de paradigmas, trazendo à tona inovação e superação.

É hora de sair da zona de conforto e mostrar o que de fato cada um pode fazer usando seu potencial máximo.

Resiliência é a palavra do momento. Afinal, resiliente é aquele que suporta a pressão, recupera-se rapidamente e consegue se antecipar aos eventos. Uma das mais importantes praticas da resiliência é a capacidade de fazer vir a tona habilidades.

No livro Resiliência: competência para enfrentar situações extraordinárias na vida profissional, o autor Paulo Yazigi Sabbag identifica nove fatores como aspectos inerentes a resiliência: auto-conhecimento, empatia, proatividade, solução de problemas, tenacidade, competência social, otimismo aprendido e flexibilidade mental.

O método para desenvolver resiliência começa por cultivar uma disciplina diária e uma curiosidade saudável para atingir o objetivo desejado. A busca constante permite abrir horizontes e avaliar todas as possibilidades, integrando-as aos recursos internos.

O momento propício também para repensar a carreira: o que faria diferente, o que repetiria se fosse possível e o que ainda pode e deve ser feito para se tornar um profissional mais pleno. Não são apenas as empresas que precisam avaliar seus funcionários neste momento – eles também devem analisar se estão satisfeitos com o trabalho que realizam. É importante refletir se este não seria o cenário ideal para traçar uma nova estratégia e ser mais feliz.

O importante é observar a consonância dos talentos com a empresa, com o mercado e com o momento atual. Momentos de crise essenciais para a busca da felicidade. Se a crise proporciona mudança, que seja para o melhor.

É tempo de definir o foco e abraçar a causa para alcançar o objetivo com a intenção de obter novos conhecimentos e experiências, resultando em crescimento.

A melhor maneira de prever o futuro é construí-lo, mas para isso é preciso senso de realidade e pensamento estratégico, capazes de gerar movimento. No lugar de enxergar o momento atual como crítico, é possível repensar e arquitetar o nosso projeto de vida. Nossas carreiras agradecem quando agimos assim.

Por: Rosemary Corretori


Voltar