Novidades
segmento de construção

Quarta-feira, 15 de julho de 2015
MEGA SISTEMAS CORPORATIVOS: 30 ANOS DE INOVAÇÃO

Empresa chega a três décadas de atividades e vive um momento de plena expansão.

O ano de 1985 foi histórico por diversas razões. Naquele período, Tancredo Neves foi o primeiro presidente eleito do Brasil depois de anos de uma ditadura militar que tomou conta do país. Mas, como todos sabem, ele faleceu e quem tomou posse foi José Sarney. No cinema, estreava Os Goonies, filme que marcou a infância de toda uma geração. Pela primeira vez, foi realizado o Rock in Rio, bem como Ayrton Senna ganhou sua primeira corrida na Fórmula 1. E também foi neste ano que foi fundada em Itu, interior de São Paulo, a Mega Sistemas Corporativos.

A empresa foi criada pelo analista de sistemas Walmir Scaravelli e pelo engenheiro Paulo Bittencourt. Os dois tinham um amigo em comum e não se conheciam. Este amigo os apresentou e sugeriu que montassem uma empresa, fato inusitado para dois estudantes em final do curso universitário. “Tanto Paulo como eu já fazíamos pequenos negócios na área de informática. Paulo tinha um produto e com ele prestava serviços para farmácias e eu dava aulas à noite e desenvolvia, esporadicamente, sistemas para empresas que já tinham computador na época. Na época o amigo comum que nos deu a ideia acabou não participando, iniciamos a empresa praticamente sem dinheiro, mas com muita vontade de crescer”, relembra o diretor de marketing e alianças e sócio-fundador da Mega Sistemas Corporativos, Walmir Scaravelli.

Segundo Scaravelli, a escolha do nome da companhia ocorreu em poucos minutos. Entre diversas opções, Mega parecia um nome de algo maior e mais forte. “Muita gente pergunta se o nome está relacionado com Itu, por ser conhecida como a cidade onde tudo é grande. Mas, realmente nunca tivemos esse objetivo. Abrimos a empresa com o nome Mega Informática e alteramos para Mega Sistemas Corporativos nos anos noventa. Na ocasião, sentimos que a palavra Informática, na razão social, denotava uma empresa de hardware ou de menor porte, o que não era mais adequado ao que realmente a empresa fazia”, revela.

O executivo conta que a primeira sede foi em um imóvel de propriedade da mãe de Bittencourt. No primeiro ano, eram apenas ele e o sócio. Logo em seguida, entrou no projeto Rogério Vieira, que continua na empresa até hoje. “Na época, os consumidores não conseguiam comprar uma máquina pronta como é comum nos dias de hoje. Era necessário adquirir microcomputador, monitor, cabos e winchester (como se chamava o HD na época) de forma separada. A montagem e a formatação do sistema operacional deveriam ser feitas por alguém que conhecesse o processo. No entanto, os computadores começaram a se popularizar e a rentabilidade de venda de hardware ficou comprometida com a invasão de máquinas provenientes do Paraguai. Percebemos, então, que deveríamos focar apenas no desenvolvimento de softwares, que era um mercado com maior barreira de entrada e no qual já estávamos estabilizados”, lembra.

O primeiro cliente da Mega foi a Fundição Irmãos Gazzolla. De acordo com Scaravelli, quem realizou a venda, “na base da amizade”, foi o pai dele. “Ele era amigo do dono e informou que estávamos abrindo as portas. Foi neste cliente, inclusive, que desenvolvemos a primeira versão do nosso ERP Mega com os módulos de Contabilidade, feito pelo Paulo, e Folha de Pagamento, feito por mim. Desenvolvemos e Implementamos a contabilidade, a folha e o contas a pagar e receber em menos de um ano. Mas, como não havia rede na época, os sistemas eram isolados e não havia integração. Logo depois, fechamos negócios com outras empresas, todas de Itu, implementando aos poucos softwares que ainda estavam em desenvolvimento”, informa o executivo.

Os anos foram se passando e a primeira grande conquista surgiu em 1994, quando a revista PC Magazine fez uma pesquisa com os principais softwares de gestão do país. A Mega foi agraciada com o “Editor’s Choice” classificando o produto como destaque em todo o país na única avaliação que a publicação fez para este tipo de aplicação. A empresa também foi em 2003 a primeira da América Latina a ter a chancela do programa ABOVE, fornecida pela Oracle e Intel que certificaram os produtos com melhor performance em suas respectivas tecnologias.

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Como não poderia ser diferente, a tecnologia exerce um papel fundamental para a evolução da empresa. Manter-se antenada com os avanços e novidades do mercado para oferecer sempre o que há de mais atualizado para os clientes, bem como conciliar as atualizações com o desenvolvimento e atuação dos colaboradores, é premissa da Mega. Com a velocidade tecnológica, o ciclo de vida dos produtos está ficando cada vez mais curto, o que faz com que a produtividade seja uma palavra de ordem entre os colaboradores.

Assim, durante todos esses anos quem também teve sua própria história foi cada segmento atendido pela companhia. No caso da Construção, a iniciativa veio do então canal de distribuição Mega Curitiba. Como ele teve forte crescimento, acabou se tornando uma das verticais de maior destaque. No caso da Indústria, a entrada no segmento foi natural na década de noventa, época em que o setor se expandia em larga escala, principalmente no estado de São Paulo. O segmento de Agronegócios surgiu de uma forte parceria com um canal de distribuição no Recife, focado no mercado sucroalcooleiro. O crescimento do setor trouxe hoje a atuação também nos ramos de fruticulturas, multiculturas e grãos. Já a vertical de Combustíveis surgiu a partir do pedido de um cliente que já utilizada o BackOffice da companhia e desejava ampliar o controle de seus negócios. A fórmula deu certo e o produto hoje é utilizado por diversas empresas do segmento. E por fim, a mais recente investida da empresa no setor de serviços, através da parceria com outro Canal de Recife, deu origem ao produto Mega Serviços, que deve ganhar destaque potencial durante os próximos anos.

E a inovação também se faz presente no dia a dia da Mega. Em 2014, a companhia criou em parceria com a GeoMob, startup que desenvolve soluções de mobilidade digital e geolocalização, um aplicativo pioneiro no mercado para colocar na tela do Google Glass as informações disponíveis no ERP Mega. Segundo Scaravelli, o potencial do Google Glass e novos wearables que estão por vir extrapolam os limites do entretenimento e tem alto potencial para chegar aos escritórios, fábricas, canteiros de obras e galpões de logística, entre outros ambientes corporativos. “Evoluir é um verbo que também não sai do nosso vocabulário. Em detrimento disso, depois de termos apresentado as primeiras possibilidades do projeto no ano passado, começamos a explorar novas possibilidades para o aplicativo criado e focamos no setor da Construção Civil. Estudamos como seria possível mudar a rotina de um engenheiro ou mestre de obras ao levar para a tela do Glass, por exemplo, todo o mapeamento da estrutura e alicerce de um prédio em construção. E, assim, desenvolvemos o aplicativo que mostra toda a composição da obra e até mesmo sua medição, cujo protótipo criado foi apresentado durante um workshop promovido por uma grande revista do ramo, em maio deste nao em São Paulo”, conta Scaravelli.

CAPITAL HUMANO

Mas se a tecnologia foi, durante esses 30 anos, a matéria-prima para que a Mega Sistemas Corporativos colecionasse tantas conquistas, nada disso seria possível em o seu principal recurso: o capital humano.

Reconhecida pelo seu estilo de administração moderno e inovador voltado ao desenvolvimento humano, a Mega investe constantemente em programas de capacitação, qualidade de vida e responsabilidade social, oferecendo oportunidades reais de crescimento e qualificação profissional. “Cada colaborador é essencial para que possamos celebrar todos os dias novas conquistas e oportunidades.Sempre nos preocupamos em manter um ambiente agradável para os nossos colaboradores, acreditamos que o clima organizacional é uma importante ferramenta de gestão. Afinal, em um setor altamente competitivo como é o de tecnologia, valorizar e reter talentos são fatores indispensáveis para as empresas que querem se destacar no mercado”, reflete Scaravelli.

Hoje não há dúvidas de que essa preocupação gera resultados reais de engajamento e valorização para cada profissional que passa pela história da empresa. Sobretudo aos que ficam. Hoje 12% do quadro organizacional da empresa é formado por colaboradores que já passaram dos 10 anos de casa. “Saber que após um ‘casamento’ de 10 anos podemos renovar os votos de matrimônio com nossa equipe e esperar pelos próximos 10, 20 ou 30 anos com a mesma alegria é motivo de orgulho, satisfação e o maior reconhecimento que poderíamos desejar”, celebra o fundador Paulo Bittencourt.

E a mesma tônica se reflete nos Canais de Atendimento Mega espalhados por todo o país. Com mais de 15 unidades representando a marca em 11 estados brasileiros, a relação de parceria e confiança segue a mesma lógica de relacionamento próximo e transparente aplicada aos colaboradores da empresa. “Alguns de nossos canais estão conosco há mais de 25 anos e temos orgulho de celebrar a cada novo ciclo a renovação de parcerias sólidas e duradouras. Sem dúvida nossos canais também são parte fundamental de nossa trajetória, que permitiram ampliar nossa capilaridade ao longo dos anos e fortalecer a presença da marca em tantas regiões do país”, pontua Scaravelli.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Ainda tendo em foco seu lado humano e como parte dos valores da empresa, a Mega também investe constantemente em políticas de Responsabilidade Social. Para Scaravelli e Bittencourt, não basta apenas ter lucro, mas, principalmente, promover a qualidade de vida entre os seus colaboradores e a comunidade na qual a companhia está inserida. “Temos uma cultura de sempre criticar as esferas do governo por não fazerem o que são de sua responsabilidade, mas, como empresários, podemos, e devemos, mesmo que eventualmente, melhorar o meio e a população onde vivemos. Juntos, temos força para provocar pequenas mudanças e transformar a sociedade”, afirma.

Desde a sua fundação, a empresa promove diversas campanhas internas, festas temáticas e beneficentes, além de arrecadações para instituições carentes em datas comemorativas como Páscoa, Natal, Dia das Crianças, entre outras ocasiões. Em 2001, a área de responsabilidade social ganhou a sua própria marca: Mega Cidadão. O início foi marcado por uma proposta lançada durante o planejamento da tradicional festa de fim de ano da Mega, quando surgiu a ideia de promover um rally solidário, que culminaria com a confraternização anual. O Rally Mega Cidadão após cinco anos de existência recebeu o título de maior rally solidário de regularidade do país e, durante os anos de sua realização, ajudou mais de oitenta entidades assistenciais de Itu e região com a doação de mais de 270 toneladas de alimentos.

E como a sede de continuar inovando também se faz presente nos projetos solidários, em 2015 a companhia deu um novo passo e lançou um projeto educacional para apoiar o desenvolvimento e formação de jovens para o futuro. Para a edição piloto do Educa Cidadão foram selecionados 15 jovens atendidos pela AEVI – Associação Espírita de Voluntários de Itu, que todos os sábados se reúnem com os voluntários do projeto – mais de 50 no total, que se revezam a cada semana – para absorver um pouco mais de conhecimento, experiência e aprendizado para torna-los preparados para um amanhã melhor. Para os próximos anos a empresa vem preparando um ambicioso projeto que ainda se encontra em fase de estudo de viabilidade.

NOVOS HORIZONTES

O tempo passou e a Mega cresceu. Se o objetivo quando a empresa foi aberta era atender empresas de Itu e região, hoje, os clientes estão nos quatro cantos do país. Para atender a demanda, em 2014, a empresa deixou de ser uma "Limitada" (LTDA) para se tornar uma “S.A.” de capital fechado, aperfeiçoando ainda mais seus processos de gestão. Foi o início de um ciclo de mudanças, tanto dentro da corporação quanto nas relações com os seus parceiros, através do acordo de fusão celebrado entre a Mega Sistemas Corporativos e o canal Mega Curitiba, que já atuava anteriormente como parceiro produtor do ERP Mega Construção para todo Brasil.

Paralelamente a esta fusão também foram concluídas outras operações que complementam o processo de expansão da companhia: as unificações das operações nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e na Região Sul do país (criando uma única empresa com gestão direta de toda carteira de clientes) e também com as operações de consultoria em TI da Informaction Empresarial(criando uma nova frente focada, principalmente, nos segmentos de Manufatura e Serviços), bem como a aquisição de participação societária no Canal Mega Minas.

Com isto, a Mega deu mais um passo na atualização do seu modelo e gestão, visando uma maior agilidade com seus parceiros e a evolução de sua linha de produtos e processos. E, desta forma, consolidou-se como uma das mais fortes companhias produtoras de ERP (Enterprise Resource Planning) do Brasil. “Foi um momento muito importante para nós e contamos com o apoio de todos os nossos colaboradores e parceiros. Eles foram e são indispensáveis para o nosso sucesso e parte imprescindível da nossa estrutura empresarial”, ressalta o executivo.

Em 2014, a Mega atingiu um faturamento de R$ 68,5 milhões. Apesar do cenário econômico do país favorecido os negócios em geral, os resultados alcançados no último ano foram muito promissores. Se os segmentos de manufatura e construção ficaram praticamente estáveis, o de serviços apresentou um crescimento de 32% e deverá ter a sua participação elevada progressivamente nos próximos cinco anos. A empresa também teve um significativo crescimento na Consultoria de Processos, área criada em 2013, com um aumento de 25% no período.

O ano também foi marcado pela obtenção de recursos provenientes de um aporte concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O recurso obtido foi direcionado à pesquisa, desenvolvimento e eventuais aquisições de operações, tudo em linha com a estratégia da empresa.

Dentre os planos para 2015 está a o desejo de expandir a presença da Mega para todo o Brasil. “Para os próximos três anos, pretendemos fortalecer a nossa operação no Nordeste e estar presente em todas as regiões do país. Ainda no mesmo período ampliaremos a nossa atuação no Sul do país, não apenas para as capitais, como também para cidades do interior da região e também estamos em vias de dar início a nossa primeira operação na região Norte. Tudo isto será possível por meio do nosso modelo de Canais Coligados, estabelecido recentemente, que permitirá que as praças já consolidadas possam desenvolver um trabalho cujo objetivo é ampliar a capilaridade nas suas respectivas regiões”, planeja o sócio-fundador.

FUTURO

Os desafios não param por aí. De acordo com o diretor de marketing e alianças e sócio-fundador da companhia, os maiores são manter os colaboradores motivados, os clientes satisfeitos e os produtos atualizados. Apesar de nesta história de 30 anos terem passado por momentos não favoráveis, como crises econômicas, períodos altamente inflacionários, mudanças de moedas, dentre outros, ele afirma que nunca pensaram em desistir. Ao ser perguntado se mudaria alguma coisa nestes trinta anos de atividades, ele é categórico: “Todo caminho que seguimos, seja pessoal ou profissional, é feito de erros e acertos, mas, posso afirmar que mudaria pouca coisa na trajetória da empresa. Tudo o que fizemos, de positivo e negativo, serviu para chegarmos aonde chegamos e querermos continuar indo cada vez mais adiante. Todo passo que demos contribuiu para nunca deixarmos de inovar, de nos reinventar, de abraçar as oportunidades, desbravar novos caminhos e levarmos nossa marca onde quer que seja. Estes são apenas os primeiros trinta anos da nossa existência. Trinta anos de luta, alegrias, tristezas, lágrimas, sorrisos, conquistas e, sobretudo, de muito amor a nossa Mega Sistemas Corporativos. Que venham os próximos 30!”, finaliza Scaravelli.


Voltar