Novidades
segmento de construção

Sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015
LOTE5 DARÁ INÍCIO A SEUS LANÇAMENTOS EM JUNHO

Fundada por cinco ex-executivos da PDG, a incorporadora que utiliza o ERP Mega Construção prevê lançamentos que somam R$359 milhões em VGV total no ano.

A Lote5 planeja seu primeiro lançamento para o mês de junho - um loteamento em Itu (SP), com Valor Geral de Vendas (VGV) total de R$ 80 milhões, do qual a empresa tem 50% de participação. No acumulado do ano, os projetos com lançamentos previstos somam R$ 359 milhões em VGV total, com fatia da Lote5 de R$ 319 milhões.

A Lote5 foi fundada por Arthur Matarazzo Braga, Astério Safatle, Beto Horts, Fernando Albuquerque e Ricardo Setton no segundo semestre de 2012, após os executivos deixarem a PDG Realty. Ao sair da incorporadora, eles se comprometeram a não lançar nenhum projeto de loteamentos até agosto de 2014.

O início dos lançamentos da Lote5 foi postergado para 2015 devido a atrasos na obtenção de licenças de projetos.

Segundo Setton, os planos para o ano estão mantidos mesmo com a piora da economia. O foco da loteadora são os produtos destinados à primeira moradia, principalmente para clientes das classes média e média-baixa. "Desenvolvemos o menor lote permitido pelo zoneamento urbano de cada cidade", diz Setton.

O banco de terrenos atual da Lote5 possibilita lançamentos totais de R$ 1.319 bilhão, previstos para o período de 2015 a 2017. A maior parte das áreas foi adquirida por meio de permuta.

Outros sete terrenos estão em negociação pela empresa. Se essas aquisições forem fechadas, o estoque de áreas da loteadora vai superar R$ 2 bilhões.

"Vamos fazer lançamentos de R$ 300 milhões a R$ 350 milhões por ano", afirma Setton.

O executivo conta que a empresa não tem planos de crescimento acelerado nem de fusão com outras loteadoras. A Lote5 desenvolve empreendimentos com capital próprio.

Horst e Safatle fundaram a Agra Incorporadora, que se tornou Agre após a aquisição - em parceria com a Veremonte, do espanhol Enrique Bañuelos - da Abyara e da Klabin Segall. Horst foi presidente da Agra e da Agre, e Safatle, diretor de engenharia da Agra e presidente da Abyara.

Setton passou a ser sócio da Agra dois anos depois da sua criação e foi diretor financeiro e de relações com investidores da empresa e da Agre. Albuquerque participou da fundação da FAL2 Incorporadora, foi sócio da Agra e presidiu a Klabin Segall. Braga esteve à frente da Agra Loteadora, da Agre Urbanismo e da PDG Urbanismo.

Os cinco fizeram parte da PDG desde que a Agre foi incorporada pela empresa, em maio de 2010, até setembro de 2012.


Voltar