Novidades
segmento de construção

Quinta-feira, 6 de dezembro de 2012
FUNCIONÁRIO MOTIVADO É SINÔNIMO DE PRODUTIVIDADE

O que desejam os profissionais do século XXI.

Bons salários, plano de carreira, benefícios, bonificações, qualidade de vida? Quais são as expectativas dos profissionais no mundo corporativo moderno? O que os motivam ao ponto de se manterem fieis a uma empresa? Como vencer o apagão de talentos, atraindo e retendo colaboradores de forma eficiente?

Estas são algumas das perguntas mais complexas que povoam a mente dos gestores de recursos humanos na atualidade, porém que não possuem respostas definitivas. Para Mariana Almeida, Gerente de Recursos Humanos da Mega Sistemas Corporativos, gerir pessoas é um desafio que compreende naturalmente a necessidade de se lidar com diferenças de pensamento e comportamento a todo o tempo. “É uma ilusão imaginar que podemos cercar todas as variáveis e manter o quadro funcional motivado de maneira homogênea. Estas diferenças sempre existirão, se considerarmos que o individuo está inserido em uma sociedade em constante evolução”, contemporiza.

A executiva acredita que cada companhia deve buscar o caminho mais eficaz para a motivação e retenção de seus talentos-chave, obviamente respeitando o seu contexto mercadológico, estratégia de negócios e cultura organizacional. “A Mega Sistemas Corporativos, por exemplo, optou, nos seus 27 anos de existência, por investir fortemente na valorização do colaborador como pessoa e cidadão. E foi este mecanismo, desenvolvido a partir de uma convivência estreita e atenta com o funcionário, que possibilitou que companhia fosse, pelo terceiro ano consecutivo, relacionada no ranking Melhores Empresas para Trabalhar em TI & Telecom no Brasil em 2012”.

Mariana nos dá agora 10 dicas que vêm garantindo o sucesso da Mega quando se fala em gestão de pessoas e motivação profissional:

1 Transparência nos processos de recrutamento e seleção;

2 Oferta de pacotes de remuneração competitivos em seu setor e um plano de carreira sólido e de fácil compreensão para o colaborador;

3 Clareza da comunicação interna;

4 Acesso simplificado aos programas de capacitação e certificações;

5 Investimento em projetos voltados à qualidade de vida, bem estar e saúde do colaborador;

6 Fomento a ocasiões que permitam a integração real e constante dos profissionais, independentemente da área em que atuam na empresa;

7 Forte envolvimento em ações de responsabilidade social;

8 Valorização dos profissionais com carreira sólida e perene na empresa;

9 Chefia acessível e realmente aberta a sugestões;

10 Vocação para a inovação.

“Não há fórmula mágica, mas acredito que a nossa experiência pode ser relevante para muitas companhias”, finaliza Mariana.


Voltar