Saiba o que esperar com o início do programa Casa Verde e Amarela

Saiba o que esperar com o início do programa Casa Verde e Amarela

Muitas famílias desejam sair do aluguel e comprar um imóvel próprio. Nesse sentido, o programa Minha Casa Minha Vida foi implementado em 2009 para oferecer subsídios e juros baixos a pessoas de baixa renda na hora de financiar uma casa ou apartamento. No entanto, o atual governo optou por fazer reformulações e criar o programa Casa Verde e Amarela.

Ao longo do texto falaremos mais acerca desse novo programa, focando nos seus impactos na área da construção civil. Além disso, explicaremos como a tecnologia pode ser útil, auxiliando construtoras e o mercado imobiliário. Continue a leitura até o final e fique por dentro do tema!

O que o programa Casa Verde e Amarela mudará para as construtoras?

Embora a essência do Minha Casa Minha Vida tenha sido mantida, o Casa Verde e Amarela vem com mudanças importantes. Entre os objetivos do governo federal com o programa estão a regularização de imóveis, a renegociação de dívidas e a realização de aprimoramentos.

Dito isso, as construtoras devem esperar um aumento considerável na demanda, visto que muitas pessoas desejam informações sobre como financiar uma casa ou apartamento com juros mais baixos do que os praticados no mercado.

Regularização de imóveis

O Ministério do Desenvolvimento Regional realizou um levantamento e descobriu que aproximadamente 500 mil imóveis do Minha Casa Minha Vida foram construídos sem uma estrutura adequada. Não obstante, a equipe responsável pelo estudo constatou também que os conjuntos habitacionais foram construídos isolados de centros urbanos, dificultando o acesso das pessoas a comércios e outros serviços importantes.

Emissão de escritura dos imóveis

O programa visa também regularizar a situação de muitos imóveis do Minha Casa Minha Vida. Em torno de 10 a 12 milhões de casas não possuem escritura, segundo o levantamento do governo federal. Assim, o proprietário do imóvel fica sem amparo jurídico na ausência desse documento.

Renegociação de dívidas

Muitas famílias, principalmente as de baixa renda, tornaram-se inadimplentes em decorrência do Minha Casa Minha Vida. Outro dado levantado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional aponta que a inadimplência no grupo 1 de beneficiados pelo antigo programa gira em torno de 40%. O governo pretende fazer um mutirão para negociar as dívidas quando a crise sanitária do novo coronavírus for controlada.

Aprimoramentos

Alguns imóveis carecem de cômodos, como quarto e banheiro. A proposta do Casa Verde e Amarela é usar parte do FGTS para essas reformas, o que também engloba a retomada de obras paradas do programa anterior. Vale também ressaltar que em alguns casos podem ser instalados equipamentos de eficiência energética ou energia solar, ajudando pessoas de mais baixa renda a economizar na conta de luz.

Quais são os grupos de beneficiários do programa Casa Verde e Amarela?

Em relação ao Minha Casa Minha Vida, o governo implementou algumas mudanças nos grupos que fazem parte do programa, que são três:

  1. - grupo 1: possui renda mensal de até R$ 2.000,00 e terá direito ao financiamento com juros mais baixos (a partir de 4,5% ao ano para todas as regiões do Brasil, exceto Norte e Nordeste, cuja taxa inicial será de 4,25%), regularização fundiária, reforma do imóvel e subsídio na hora de comprar uma casa;
  2. - grupo 2: possui renda mensal entre R$ 2.000,00 e R$ 4.000,00, com direito à regularização fundiária e financiamento com juros um pouco maiores em comparação com o primeiro grupo (a partir de 5% ao ano para todas as regiões do Brasil, exceto Norte e Nordeste, cuja taxa inicial será de 4,75%);
  3. - grupo 3: possui renda mensal entre R$ 4.000,00 e R$ 7.000,00, com os mesmos direitos citados para o segundo grupo, sendo que os juros para todas as regiões do Brasil serão a partir de 7,66% ao ano.

O que esperar no contexto do programa?

Como se sabe, o preço de mercado para alguns imóveis pode ficar bastante inacessível a pessoas com renda mais baixa. No entanto, o programa habitacional do governo surge com propostas de juros baixos e subsídios a essas famílias, de modo a aquecer o setor de construção civil.

Nessa perspectiva, é natural que a intermediação do governo torne esse mercado mais pujante, visto que agora ele passa a atrair indivíduos que antes não tinham condições de sair do aluguel, o que corrói bastante o orçamento mensal.

No entanto, mesmo os subsídios e os juros mais baixos podem se tornar um problema para as empresas do setor, exigindo que elas sejam seletivas com os clientes. Em outras palavras, não adianta fazer muitas vendas de imóveis do programa se isso vai gerar inadimplência futura, o que também é conhecido por distrato imobiliário.

Como a tecnologia pode ser uma aliada para construtoras e para o mercado imobiliário?

A crise sanitária acelerou bastante a transformação digital dos negócios, e com construtoras e imobiliárias não seria diferente. Nesse sentido, o uso da tecnologia na construção civil é responsável por coletar e armazenar dados, visto que fornece informações valiosas sobre oferta, demanda e quais clientes são mais bem qualificados na hora de fechar negócios.

Um software de gestão, por exemplo, além de coletar e processar dados, faz muitas outras coisas, como a integração entre os setores da empresa e a automação de rotinas. Dessa forma, é possível aumentar a produtividade dos colaboradores e aprimorar o atendimento ao cliente, de forma ágil e que gere uma boa experiência de compra ao consumidor.

Também é importante ressaltar a redução de custos, o melhor aproveitamento dos insumos e a sustentabilidade. Quando se adota uma tecnologia específica, os processos podem ser revisados e atualizados, de acordo com as métricas e indicadores de performance apresentados pela ferramenta. Tudo isso contribui para os gestores tomarem decisões mais acertadas, com base em informações precisas e confiáveis, que podem ser atualizadas em tempo real.

O programa Casa Verde e Amarela veio para substituir o Minha Casa Minha Vida, com foco na renegociação de dívidas, regularização e reforma de imóveis. Vimos também que o investimento em tecnologia por parte das construtoras e imobiliárias pode auxiliar bastante na hora de se beneficiar desse programa habitacional. Nós, da Senior Mega, somos referência nacional em tecnologias de gestão, com soluções voltadas para esses setores, de modo a proporcionar aumento de vendas e construção de relacionamento com os clientes.

Quer saber mais sobre como as nossas soluções podem apoiar o seu negócio? Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo!