Plano Mestre de Produção: o que é e como funciona o PMP?

Plano Mestre de Produção: o que é e como funciona o PMP?

Você sabe definir com exatidão o Plano Mestre de Produção da sua empresa? Essa ferramenta de planejamento garante mais eficiência no processo produtivo, além de evitar ou reduzir perdas nas operações de fabricação.

Neste artigo você entenderá o que é e como funciona esse documento. Além disso, saiba como usar a inteligência de dados para tomar decisões mais acertadas em relação à produção!

O que é o Plano Mestre de Produção?

O Plano Mestre de Produção (PMP) ou Master Production Planning (MPS) é um registro que documenta todos os dados sobre a quantidade de itens a serem produzidos, o tempo e os recursos necessários para a produção. Todos os produtos são categorizados conforme o tipo.

Podemos dar um exemplo simples, mas bem didático. Digamos que a empresa fabrica canetas esferográficas. Elas são compostas por 8 componentes:

  • tubo de tinta;

  • carcaça;

  • tampa da ponta;

  • tampa traseira da carcaça;

  • esfera da ponta;

  • ponteira;

  • 0,4ml de tinta;

  • embalagem a cada 50 unidades.

O PMP faz esse levantamento, lista o que já tem em estoque e o que ainda é necessário adquirir para cumprir as demandas. Além disso, é preciso verificar outros recursos necessários, como equipamentos e mão de obra.

É importante não confundir o Plano Mestre de Produção com o Plano de Produção. Eles são diferentes tanto no nível de agregação dos produtos quanto na unidade de tempo analisada.

O Plano de Produção é mais abrangente, com um nível de agregação maior. No caso das canetas esferográficas, se tenho duas cores de tintas diferentes, ganho duas possibilidades de modelos de produtos. Se também disponho de três tipos de carcaças, as variedades possíveis aumentam para seis, ou seja, enquanto o PMP trata um produto individual, o Plano de Produção acolhe mais famílias de produtos, com um nível de complexidade mais alto.

O mesmo se dá com a unidade de tempo analisada. Se o seu planejamento considera muitas possibilidades, não é possível fazer uma programação de curto prazo. O PMP também deve considerar o tempo que cada produção exige do fluxo de trabalho.

Dessa forma, há um documento (PMP) para cada produto daquela família, pois a análise precisa ser mais individualizada e menos complexa. Seu objetivo principal é sempre calcular as necessidades de produtos que serão fabricados, detalhando a quantidade e o tempo até o resultado final.

Como montar um PMP para a sua empresa?

Entendido o conceito e a finalidade de um PMP, indicamos alguns passos para ajudar você a montar esse documento. Confira!

Faça a previsão da demanda

Primeiramente, determine o quanto se espera produzir em determinado espaço de tempo. Esse valor servirá de indicador para posteriores análises. Uma boa dica é utilizar resultados dos anos anteriores para construir essa previsão de demanda.

Planeje a sua capacidade produtiva

A capacidade produtiva precisa ser projetada em uma perspectiva de médio e longo prazo. Como você deve saber, alguns itens impactam fortemente o seu potencial de produção, como quantidade de matéria-prima disponível, mão de obra e equipamentos.

Planeje a produção de itens agregados

Quando o nível de agregação aumenta, a complexidade da produção também dispara — e mais tempo isso demanda. Esse planejamento avalia o volume de produção e o estoque com base em famílias de itens.

Faça um cálculo de todos os materiais necessários

Com base no volume total que será entregue naquele período específico, faça um levantamento de todos os materiais a serem utilizados. Se serão confeccionadas 3 mil peças de roupa em 4 meses, quanto de tecido, linha, botões e zíperes, por exemplo, são necessários para cumprir a demanda?

Adote um software para auxiliar o PMP

Diante de tantos cálculos e projeções, é essencial utilizar um ERP (software de gerenciamento) que garanta uma gestão inteligente. Essa tecnologia é capaz de gerar o PMP automaticamente, tudo integrado aos demais dados da empresa, com mais segurança e exatidão nas informações.

O Plano Mestre de Produção é uma ferramenta gerencial indispensável para o planejamento das atividades. Ele representa a base para a tomada de decisões, otimiza as operações e promove a redução de desperdício na produção

Todo esse processo pode ser alavancado com a adoção de um software específico para essa atividade. Para saber mais sobre o ERP na nuvem, confira este post!