Parte do problema ou da solução?

Parte do problema ou da solução?

“Isso não vai funcionar”

“Agora ficou pior do que estava”

“Não me consultaram, então não vai dar certo” ...

Estas são algumas frases típicas de pessoas que, ao se depararem com novas regras ou necessidades de mudança, demonstram incômodo ao invés de contribuir para encontrar uma solução melhor. São pessoas que, geralmente, não se agradam com nada do que lhes é apresentado, criticam, fazem comentários pejorativos e só reclamam das “novas ideias”.

O mercado muda o tempo todo, assim como as pessoas e as necessidades... e sabemos que acompanhar estas mudanças nem sempre é algo fácil. Algumas são modismo, outras alteram de forma definitiva conceitos que já conhecemos. Mas o que não podemos discordar é que é a partir destas mudanças que as empresas se reinventam, se inovam e melhoram.

Novas regras também podem ser novas oportunidades de aprendizado, crescimento pessoal e profissional e até de exercitar uma parte do cérebro esquecida por muitos: a capacidade de argumentação. Não concorda? Acha mesmo que as mudanças não podem ser favoráveis a você? Pense bem!

Analise, construa e formalize uma ideia. Mas faça isso por completo. Não apenas com frases ou pensamentos soltos. Avalie as necessidades que levaram a empresa a tomar determinada decisão, busque alternativas e valide-as, não só financeiramente, como também em relação à sua aplicação no negócio e ao impacto na equipe e, somente então, apresente-as.

Se você não é parte da solução, com certeza é parte do problema!

Não conseguiu encontrar uma maneira melhor ou argumentação suficiente? Não tem problema. Apenas não saia por aí criticando de forma infundamentada as decisões. E se alguém vier reclamar para você, questione sobre qual seria a sugestão de melhoria e qual o motivo de não tê-la exposto. Se não tiver resposta... fuja, não dê ouvidos!