O que faz um sistema de gestão de manufatura?

O que faz um sistema de gestão de manufatura?

Em tempos de crise e aumento contínuo da concorrência, empreendedores do ramo da manufatura têm chegado a uma conclusão comum: uma gestão organizada de operações é a chave para o aumento da produtividade e para o sucesso de um negócio, como um todo.

Mas como conseguir aprimorar a gestão operacional de um negócio e, consequentemente, a gestão de manufatura? Uma boa solução é a busca por um sistema de gestão específico para o setor da indústria.

Com ele, a empresa poderá ter um controle mais efetivo da produção, identificar possíveis erros e pontos de desperdício e extrair o melhor de suas máquinas e colaboradores.

Pensando nisso, elaboramos este guia explicando como funciona um sistema de gestão de manufatura e quais são as suas principais vantagens. Ficou curioso? Então continue acompanhando!

Descubra mais sobre o ERP

A sigla ERP quer dizer Enterprise Resource Planning e em tradução livre significa planejamento de recursos empresariais. Portanto, os ERPs são sistemas de gestão responsáveis por cuidar de todas as operações que acontecem diariamente no cotidiano corporativo de uma empresa.

Eles oferecem visibilidade, funções analíticas e eficiência em todos os aspectos do seu negócio. É imprescindível entender que o ERP possui um pacote de ferramentas básicas que são otimizadas por meio de módulos integrados entre si. Ao inserir os dados da sua empresa, uma base única é criada e pode ser utilizada em diversos departamentos.

Os módulos podem contemplar as seguintes áreas específicas da empresa:

·         Controle de estoque;

·         Departamento financeiro;

·         Contabilidade;

·         Tributário.

Diferencie o SMF do ERP

A sigla SMF é um acrônimo para Sistema Flexível de Manufatura (Flexible Manufacturing System — FMS na sigla original). O que difere esse sistema do ERP é a sua uma grande flexibilidade para lidar com mudanças que surgem, sejam esperadas ou não no processo de fabricação, sendo uma inovação em sistemas de manufatura.

Esta flexibilidade é subdividida em duas categorias: a primeira, denominada “machine flexibility”, refere-se à capacidade do sistema de se remodelar para produzir novos produtos. Além disso, ele também possui a habilidade de alterar a ordem dos procedimentos executados.

A segunda categoria (routing flexibility) dispõe sobre a utilização de múltiplas máquinas para realizar a mesma operação. O sistema sabe lidar com grandes mudanças, seja no volume, capacidade ou capabilidade.

Saiba os benefícios do ERP para um sistema de gestão de manufatura

Eficiência

Um sistema de gestão flexível tornará sua produção mais eficiente. Isso porque o fluxo de informação nesse sistema simplificará a coleta de dados e elaboração das análises, facilitando a tomada de decisão.

Além disso, o ERP otimizará o planejamento das demandas, o reabastecimento do estoque e as funções de programação de produção. Isso tudo reunido em um só sistema, reduzindo a manutenção de vários bancos de coleta de dados e de sistemas de produção e comunicação distintos.

Redução de custos

Ter processos eficientes é o primeiro passo para reduzir desperdícios e aumentar a produtividade. Sem dúvidas, a redução de custos é um dos principais benefícios da implantação de um ERP.

Com o sistema, será possível poupar gastos desnecessários e perdas no processo produtivo. Além disso, o ERP permitirá a redução nas despesas de administração com negociações e vendas, e um controle preciso do seu estoque, identificando falhas, como estoque de material desnecessário.

Aumento da Produtividade

Em uma cadeia ou linha de produção, pode-se encontrar diversos “gargalos”, ou seja, pontos em que a velocidade de trabalho cai — por consequência a quantidade de itens que passa por suas esteiras diminui. É papel do gestor integrar o ERP ao longo da montagem ou confecção de um determinado produto.

Qualidade

Ganhar em qualidade significa maior rentabilidade para seu negócio. E com o ERP é possível atingir níveis maiores de qualidade na produção, melhorando seu produto final e suas entregas.

O sistema tornará mais fácil a detecção e correção de possíveis defeitos em produtos acabados e problemas nos processos, tanto de fabricação quanto de entregas. Melhorias de qualidade costumam levar a uma maior satisfação dos clientes, o que tem como consequência o aumento das vendas e dos lucros da empresa.

É possível otimizar os processos na sua indústria sem perder qualidade, e essa é a receita para você maximizar seus lucros.

Controle de produção

Exatamente pelos processos destacados acima, é importante ressaltar a necessidade do controle de sua produção. Fora a administração do dinheiro gasto, saber quem realizou cada etapa do processo de produção, por quanto tempo e em qual máquina, assegurará que o controle de produção do seu negócio está sendo feito da maneira adequada.

Ao utilizar um software de gestão, o gestor terá uma visão ampla de todos os processos que compõem o cotidiano da sua empresa. As facilidades que um sistema ERP proporciona possibilita uma detecção rápida de erros, sendo possível acompanhar com maior precisão o trabalho dos funcionários — resultando em otimização do tempo útil para todo o quadro de funcionários.

Um sistema de gestão de manufatura, tem como principal objetivo otimizar ao máximo todas as etapas do processo de produção ao mesmo tempo que minimiza os erros e falhas. Para continuar a aprender sobre esse assunto, não deixe de baixar o nosso e-book: Guia prático — 4 passos para a automatização na indústria!

 

 

Em tempos de crise e aumento contínuo da concorrência, empreendedores do ramo da manufatura têm chegado a uma conclusão comum: uma gestão organizada de operações é a chave para o aumento da produtividade e para o sucesso de um negócio, como um todo.

Mas como conseguir aprimorar a gestão operacional de um negócio e, consequentemente, a gestão de manufatura? Uma boa solução é a busca por um sistema de gestão específico para o setor da indústria.

Com ele, a empresa poderá ter um controle mais efetivo da produção, identificar possíveis erros e pontos de desperdício e extrair o melhor de suas máquinas e colaboradores.

Pensando nisso, elaboramos este guia explicando como funciona um sistema de gestão de manufatura e quais são as suas principais vantagens. Ficou curioso? Então continue acompanhando!

Descubra mais sobre o ERP

A sigla ERP quer dizer Enterprise Resource Planning e em tradução livre significa planejamento de recursos empresariais. Portanto, os ERPs são sistemas de gestão responsáveis por cuidar de todas as operações que acontecem diariamente no cotidiano corporativo de uma empresa.

Eles oferecem visibilidade, funções analíticas e eficiência em todos os aspectos do seu negócio. É imprescindível entender que o ERP possui um pacote de ferramentas básicas que são otimizadas por meio de módulos integrados entre si. Ao inserir os dados da sua empresa, uma base única é criada e pode ser utilizada em diversos departamentos.

Os módulos podem contemplar as seguintes áreas específicas da empresa:

  • Controle de estoque;

  • Departamento financeiro;

  • Contabilidade;

  • Tributário.

Diferencie o SMF do ERP

A sigla SMF é um acrônimo para Sistema Flexível de Manufatura (Flexible Manufacturing System — FMS na sigla original). O que difere esse sistema do ERP é a sua uma grande flexibilidade para lidar com mudanças que surgem, sejam esperadas ou não no processo de fabricação, sendo uma inovação em sistemas de manufatura.

Esta flexibilidade é subdividida em duas categorias: a primeira, denominada “machine flexibility”, refere-se à capacidade do sistema de se remodelar para produzir novos produtos. Além disso, ele também possui a habilidade de alterar a ordem dos procedimentos executados.

A segunda categoria (routing flexibility) dispõe sobre a utilização de múltiplas máquinas para realizar a mesma operação. O sistema sabe lidar com grandes mudanças, seja no volume, capacidade ou capabilidade.

Saiba os benefícios do ERP para um sistema de gestão de manufatura

Eficiência

Um sistema de gestão flexível tornará sua produção mais eficiente. Isso porque o fluxo de informação nesse sistema simplificará a coleta de dados e elaboração das análises, facilitando a tomada de decisão.

Além disso, o ERP otimizará o planejamento das demandas, o reabastecimento do estoque e as funções de programação de produção. Isso tudo reunido em um só sistema, reduzindo a manutenção de vários bancos de coleta de dados e de sistemas de produção e comunicação distintos.

Redução de custos

Ter processos eficientes é o primeiro passo para reduzir desperdícios e aumentar a produtividade. Sem dúvidas, a redução de custos é um dos principais benefícios da implantação de um ERP.

Com o sistema, será possível poupar gastos desnecessários e perdas no processo produtivo. Além disso, o ERP permitirá a redução nas despesas de administração com negociações e vendas, e um controle preciso do seu estoque, identificando falhas, como estoque de material desnecessário.

Aumento da Produtividade

Em uma cadeia ou linha de produção, pode-se encontrar diversos “gargalos”, ou seja, pontos em que a velocidade de trabalho cai — por consequência a quantidade de itens que passa por suas esteiras diminui. É papel do gestor integrar o ERP ao longo da montagem ou confecção de um determinado produto.

Qualidade

Ganhar em qualidade significa maior rentabilidade para seu negócio. E com o ERP é possível atingir níveis maiores de qualidade na produção, melhorando seu produto final e suas entregas.

O sistema tornará mais fácil a detecção e correção de possíveis defeitos em produtos acabados e problemas nos processos, tanto de fabricação quanto de entregas. Melhorias de qualidade costumam levar a uma maior satisfação dos clientes, o que tem como consequência o aumento das vendas e dos lucros da empresa.

É possível otimizar os processos na sua indústria sem perder qualidade, e essa é a receita para você maximizar seus lucros.

Controle de produção

Exatamente pelos processos destacados acima, é importante ressaltar a necessidade do controle de sua produção. Fora a administração do dinheiro gasto, saber quem realizou cada etapa do processo de produção, por quanto tempo e em qual máquina, assegurará que o controle de produção do seu negócio está sendo feito da maneira adequada.

Ao utilizar um software de gestão, o gestor terá uma visão ampla de todos os processos que compõem o cotidiano da sua empresa. As facilidades que um sistema ERP proporciona possibilita uma detecção rápida de erros, sendo possível acompanhar com maior precisão o trabalho dos funcionários — resultando em otimização do tempo útil para todo o quadro de funcionários.

Um sistema de gestão de manufatura, tem como principal objetivo otimizar ao máximo todas as etapas do processo de produção ao mesmo tempo que minimiza os erros e falhas. Para continuar a aprender sobre esse assunto, não deixe de baixar o nosso e-book: Guia prático — 4 passos para a automatização na indústria!

Em tempos de crise e aumento contínuo da concorrência, empreendedores do ramo da manufatura têm chegado a uma conclusão comum: uma gestão organizada de operações é a chave para o aumento da produtividade e para o sucesso de um negócio, como um todo.

Mas como conseguir aprimorar a gestão operacional de um negócio e, consequentemente, a gestão de manufatura? Uma boa solução é a busca por um sistema de gestão específico para o setor da indústria.

Com ele, a empresa poderá ter um controle mais efetivo da produção, identificar possíveis erros e pontos de desperdício e extrair o melhor de suas máquinas e colaboradores.

Pensando nisso, elaboramos este guia explicando como funciona um sistema de gestão de manufatura e quais são as suas principais vantagens. Ficou curioso? Então continue acompanhando!

Descubra mais sobre o ERP

A sigla ERP quer dizer Enterprise Resource Planning e em tradução livre significa planejamento de recursos empresariais. Portanto, os ERPs são sistemas de gestão responsáveis por cuidar de todas as operações que acontecem diariamente no cotidiano corporativo de uma empresa.

Eles oferecem visibilidade, funções analíticas e eficiência em todos os aspectos do seu negócio. É imprescindível entender que o ERP possui um pacote de ferramentas básicas que são otimizadas por meio de módulos integrados entre si. Ao inserir os dados da sua empresa, uma base única é criada e pode ser utilizada em diversos departamentos.

Os módulos podem contemplar as seguintes áreas específicas da empresa:

  • Controle de estoque;

  • Departamento financeiro;

  • Contabilidade;

  • Tributário.

Diferencie o SMF do ERP

A sigla SMF é um acrônimo para Sistema Flexível de Manufatura (Flexible Manufacturing System — FMS na sigla original). O que difere esse sistema do ERP é a sua uma grande flexibilidade para lidar com mudanças que surgem, sejam esperadas ou não no processo de fabricação, sendo uma inovação em sistemas de manufatura.

Esta flexibilidade é subdividida em duas categorias: a primeira, denominada “machine flexibility”, refere-se à capacidade do sistema de se remodelar para produzir novos produtos. Além disso, ele também possui a habilidade de alterar a ordem dos procedimentos executados.

A segunda categoria (routing flexibility) dispõe sobre a utilização de múltiplas máquinas para realizar a mesma operação. O sistema sabe lidar com grandes mudanças, seja no volume, capacidade ou capabilidade.

Saiba os benefícios do ERP para um sistema de gestão de manufatura

Eficiência

Um sistema de gestão flexível tornará sua produção mais eficiente. Isso porque o fluxo de informação nesse sistema simplificará a coleta de dados e elaboração das análises, facilitando a tomada de decisão.

Além disso, o ERP otimizará o planejamento das demandas, o reabastecimento do estoque e as funções de programação de produção. Isso tudo reunido em um só sistema, reduzindo a manutenção de vários bancos de coleta de dados e de sistemas de produção e comunicação distintos.

Redução de custos

Ter processos eficientes é o primeiro passo para reduzir desperdícios e aumentar a produtividade. Sem dúvidas, a redução de custos é um dos principais benefícios da implantação de um ERP.

Com o sistema, será possível poupar gastos desnecessários e perdas no processo produtivo. Além disso, o ERP permitirá a redução nas despesas de administração com negociações e vendas, e um controle preciso do seu estoque, identificando falhas, como estoque de material desnecessário.

Aumento da Produtividade

Em uma cadeia ou linha de produção, pode-se encontrar diversos “gargalos”, ou seja, pontos em que a velocidade de trabalho cai — por consequência a quantidade de itens que passa por suas esteiras diminui. É papel do gestor integrar o ERP ao longo da montagem ou confecção de um determinado produto.

Qualidade

Ganhar em qualidade significa maior rentabilidade para seu negócio. E com o ERP é possível atingir níveis maiores de qualidade na produção, melhorando seu produto final e suas entregas.

O sistema tornará mais fácil a detecção e correção de possíveis defeitos em produtos acabados e problemas nos processos, tanto de fabricação quanto de entregas. Melhorias de qualidade costumam levar a uma maior satisfação dos clientes, o que tem como consequência o aumento das vendas e dos lucros da empresa.

É possível otimizar os processos na sua indústria sem perder qualidade, e essa é a receita para você maximizar seus lucros.

Controle de produção

Exatamente pelos processos destacados acima, é importante ressaltar a necessidade do controle de sua produção. Fora a administração do dinheiro gasto, saber quem realizou cada etapa do processo de produção, por quanto tempo e em qual máquina, assegurará que o controle de produção do seu negócio está sendo feito da maneira adequada.

Ao utilizar um software de gestão, o gestor terá uma visão ampla de todos os processos que compõem o cotidiano da sua empresa. As facilidades que um sistema ERP proporciona possibilita uma detecção rápida de erros, sendo possível acompanhar com maior precisão o trabalho dos funcionários — resultando em otimização do tempo útil para todo o quadro de funcionários.

Um sistema de gestão de manufatura, tem como principal objetivo otimizar ao máximo todas as etapas do processo de produção ao mesmo tempo que minimiza os erros e falhas. Para continuar a aprender sobre esse assunto, não deixe de baixar o nosso e-book: Guia prático — 4 passos para a automatização na indústria!

Em tempos de crise e aumento contínuo da concorrência, empreendedores do ramo da manufatura têm chegado a uma conclusão comum: uma gestão organizada de operações é a chave para o aumento da produtividade e para o sucesso de um negócio, como um todo. Mas como conseguir aprimorar a gestão operacional de um negócio e, consequentemente, a gestão de manufatura? Uma boa solução é a busca por um sistema de gestão específico para o setor da indústria. Com ele, a empresa poderá ter um controle mais efetivo da produção, identificar possíveis erros e pontos de desperdício e extrair o melhor de suas máquinas e colaboradores. Pensando nisso, elaboramos este guia explicando como funciona um sistema de gestão de manufatura e quais são as suas principais vantagens. Ficou curioso? Então continue acompanhando! Descubra mais sobre o ERP A sigla ERP quer dizer Enterprise Resource Planning e em tradução livre significa planejamento de recursos empresariais. Portanto, os ERPs são sistemas de gestão responsáveis por cuidar de todas as operações que acontecem diariamente no cotidiano corporativo de uma empresa. Eles oferecem visibilidade, funções analíticas e eficiência em todos os aspectos do seu negócio. É imprescindível entender que o ERP possui um pacote de ferramentas básicas que são otimizadas por meio de módulos integrados entre si. Ao inserir os dados da sua empresa, uma base única é criada e pode ser utilizada em diversos departamentos. Os módulos podem contemplar as seguintes áreas específicas da empresa: · Controle de estoque; · Departamento financeiro; · Contabilidade; · Tributário. Diferencie o SMF do ERP A sigla SMF é um acrônimo para Sistema Flexível de Manufatura (Flexible Manufacturing System — FMS na sigla original). O que difere esse sistema do ERP é a sua uma grande flexibilidade para lidar com mudanças que surgem, sejam esperadas ou não no processo de fabricação, sendo uma inovação em sistemas de manufatura. Esta flexibilidade é subdividida em duas categorias: a primeira, denominada “machine flexibility”, refere-se à capacidade do sistema de se remodelar para produzir novos produtos. Além disso, ele também possui a habilidade de alterar a ordem dos procedimentos executados. A segunda categoria (routing flexibility) dispõe sobre a utilização de múltiplas máquinas para realizar a mesma operação. O sistema sabe lidar com grandes mudanças, seja no volume, capacidade ou capabilidade. Saiba os benefícios do ERP para um sistema de gestão de manufatura Eficiência Um sistema de gestão flexível tornará sua produção mais eficiente. Isso porque o fluxo de informação nesse sistema simplificará a coleta de dados e elaboração das análises, facilitando a tomada de decisão. Além disso, o ERP otimizará o planejamento das demandas, o reabastecimento do estoque e as funções de programação de produção. Isso tudo reunido em um só sistema, reduzindo a manutenção de vários bancos de coleta de dados e de sistemas de produção e comunicação distintos. Redução de custos Ter processos eficientes é o primeiro passo para reduzir desperdícios e aumentar a produtividade. Sem dúvidas, a redução de custos é um dos principais benefícios da implantação de um ERP. Com o sistema, será possível poupar gastos desnecessários e perdas no processo produtivo. Além disso, o ERP permitirá a redução nas despesas de administração com negociações e vendas, e um controle preciso do seu estoque, identificando falhas, como estoque de material desnecessário. Aumento da Produtividade Em uma cadeia ou linha de produção, pode-se encontrar diversos “gargalos”, ou seja, pontos em que a velocidade de trabalho cai — por consequência a quantidade de itens que passa por suas esteiras diminui. É papel do gestor integrar o ERP ao longo da montagem ou confecção de um determinado produto. Qualidade Ganhar em qualidade significa maior rentabilidade para seu negócio. E com o ERP é possível atingir níveis maiores de qualidade na produção, melhorando seu produto final e suas entregas. O sistema tornará mais fácil a detecção e correção de possíveis defeitos em produtos acabados e problemas nos processos, tanto de fabricação quanto de entregas. Melhorias de qualidade costumam levar a uma maior satisfação dos clientes, o que tem como consequência o aumento das vendas e dos lucros da empresa. É possível otimizar os processos na sua indústria sem perder qualidade, e essa é a receita para você maximizar seus lucros. Controle de produção Exatamente pelos processos destacados acima, é importante ressaltar a necessidade do controle de sua produção. Fora a administração do dinheiro gasto, saber quem realizou cada etapa do processo de produção, por quanto tempo e em qual máquina, assegurará que o controle de produção do seu negócio está sendo feito da maneira adequada. Ao utilizar um software de gestão, o gestor terá uma visão ampla de todos os processos que compõem o cotidiano da sua empresa. As facilidades que um sistema ERP proporciona possibilita uma detecção rápida de erros, sendo possível acompanhar com maior precisão o trabalho dos funcionários — resultando em otimização do tempo útil para todo o quadro de funcionários. Um sistema de gestão de manufatura, tem como principal objetivo otimizar ao máximo todas as etapas do processo de produção ao mesmo tempo que minimiza os erros e falhas. Para continuar a aprender sobre esse assunto, não deixe de baixar o nosso e-book: Guia prático — 4 passos para a automatização na indústria!