O que faz o agricultor perder produtividade no campo?

O que faz o agricultor perder produtividade no campo?

A agricultura é uma das áreas mais importantes da nossa sociedade e não lhe faltam desafios. Já extrapolamos os limites ecológicos de áreas plantáveis do planeta e o desmatamento contínuo pode colocar tudo a perder.

No entanto, a população mundial não para de crescer e se concentra nos espaços urbanos, em uma relação exclusivamente de consumo do alimento.

O agricultor precisa, assim, suprir uma demanda cada vez maior, em um espaço limitado e sujeito a adversidades naturais. Embora a tarefa seja árdua, o Brasil tem se destacado pelos altos índices de produtividade no campo. Veja aqui alguns descuidos a serem evitados para manter suas terras produtivas:

1. Falta de planejamento

Ainda que os resultados na agricultura sejam colhidos apenas depois de vários meses, é preciso estar preparado desde o início e saber muito bem como bater suas metas. Manter as informações da fazenda centralizadas e acessíveis é crucial para ter domínio do todo e enxergar os detalhes, como gargalos na linha de produção e venda ou desperdícios.

Um Sistema de Gestão Empresarial (ERP, na sigla em inglês) pode facilitar e otimizar a administração de uma fazenda, permitindo, inclusive, a tomada de decisões a distância, baseado nos dados de campo que os funcionários inserem no software.

Esteja especialmente atento ao período de entressafra, quando se pode priorizar tarefas não diretamente relacionadas ao cuidado com as plantas, como compra, aluguel ou manutenção de maquinário, contratação e treinamento pessoal, instalação de redes de irrigação e melhoria da infraestrutura.

2. Falta de controle

As condições climáticas, de umidade, os nutrientes do solo e eventuais pragas precisam ser monitoradas constantemente — a desatenção pode levar a um desastre. Fatores como inclinação do terreno e proximidade de cursos d’água são capazes de alterar substancialmente a forma como o plantio será otimizado em diferentes áreas de uma mesma fazenda.

Alguns detalhes, porém, podem passar despercebidos ao olho mais treinado, especialmente quando a área plantada é de grandes proporções.

Nesses casos, a tecnologia pode ser uma grande aliada. Monitoramento por satélite e drone, rotas de máquinas traçadas por GPS, sensores de nitrogênio e umidade no solo, sistemas de irrigação otimizados e previsão meteorológica de precisão são alguns recursos que podem fazer toda a diferença.

3. Má utilização de recursos

Esse item se relaciona tanto com o planejamento quanto com o controle. No entanto, merece um tópico à parte por tratar de problemas comuns na cultura agrícola brasileira, que levam ao desperdício e até mesmo prejudicam a segurança alimentar.

Defensivos

Somos o país que mais utiliza agrotóxicos no mundo. Será que temos uma taxa anormal de pestes invasoras? Não, apenas estamos exagerando na aplicação de um produto que pode fazer mal ao agricultor, ao consumidor e ao meio ambiente.

Quase metade dos pesticidas aplicados, inclusive, é desperdiçada por erros na escolha de horário e condições climatológicas ou pela utilização fora das condições especificadas pelo fabricante.

Além de seguir à risca as instruções de uso, de aplicar em tempo seco, temperatura amena e sem vento, e de saber identificar o momento correto do ciclo de vida da planta ou do parasita, o agricultor pode reduzir a quantidade de agrotóxicos que consome variando técnicas de defesa, como controle biológico e incluir plantas companheiras que afastam as pragas comuns na sua cultura principal.

Insumos

Um solo bem cuidado é essencial para a produtividade no campo. Mas aplicar macronutrientes de forma indiscriminada pode não ser a melhor opção para o seu bolso, sua safra e para o ambiente.

Se você não proteger o solo, a lixiviação levará todo o seu investimento embora e contribuirá, inclusive, para a eutrofização de reservatórios de água, causando a morte da fauna aquática local.

A saúde do solo também depende de fatores como os macro e microagregados, e micronutrientes. A rotação de culturas, a restrição do maquinário no terreno e o plantio direto podem ajudá-lo a manter o solo vivo. Uma vez perdidas essas propriedades, recuperá-las será muito mais custoso e trabalhoso.

Agora que você já sabe como manter a produtividade no campo, siga conosco para conhecer algumas ferramentas que vão auxiliá-lo a gerar mobilidade no agronegócio!