Entenda o georreferenciamento e saiba como usá-lo a seu favor

Entenda o georreferenciamento e saiba como usá-lo a seu favor

O georreferenciamento é um conceito especialmente útil para as empresas do setor agrícola. Ainda assim, muitos que trabalham na área não compreendem exatamente em que ele consiste, como funciona e de que modo poderia ser empregado para alavancar os resultados do negócio rurais.

Também precisa de uma ajudinha para conhecer mais sobre o assunto? Não se preocupe, pois elaboramos este post para te ajudar a entender melhor como o georreferenciamento funciona. Vamos lá?

O que é georreferenciamento

Georreferenciamento é um processo que permite determinar a exata posição geográfica de um imóvel rural e sua área por meio de um mapeamento que referencia os vértices de seu perímetro ao sistema geodésico brasileiro.

Assim, passa a ser possível saber exatamente qual é a localização dessa propriedade. E o processo é muito útil para manter tudo dentro das normas, de modo que o proprietário do local saiba exatamente até onde vão suas terras.

Para realizar o georreferenciamento de sua propriedade você deverá contar com profissionais com capacidades técnicas na área de topografia e certificados pelo CREA e INCRA.

Importância da aplicação do georreferenciamento

O método se tornou ainda mais importante especialmente perante a aprovação de uma nova lei que exige que o proprietário de imóveis rurais relate ao INCRA seu exato posicionamento.

Essas informações são confrontadas com o banco de dados já existente, a fim de garantir a legalidade dessas propriedades, sem sobreposições com dados de outras propriedades.

Essa análise poderá ser usada para conceder a Certidão de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) aos proprietários, documento necessário para fazer praticamente qualquer procedimento que envolva o terreno da propriedade rural — desde solicitar algum benefício governamental até partilhar o imóvel, em caso de falecimento do dono, por exemplo.

Tempo de aplicação do georrefereciamento

A grande questão com a qual se deve ter cuidado em relação ao georreferenciamento diz respeito à lentidão do processo. Há diversas etapas envolvidas, sendo que a conclusão leva, geralmente, entre 3 meses e um ano para ser alcançada.

Portanto, se você estiver planejando algo que exija a CCIR do imóvel, é importante dar entrada no processo de georreferenciamento o mais rapidamente possível.

Benefícios de aplicar o georreferenciamento

Embora, a princípio, o georreferenciamento possa parecer mais um entrave burocrático criado pelo governo, ele, na verdade, traz excelentes vantagens para o gestor de uma empresa agrícola. Conheça alguns deles!

Melhora da mobilidade no campo

Imagine como a falta de conhecimento sobre a área disponível a ser trabalhada impacta negativamente nos resultados de uma empresa rural. Conhecer a sua propriedade melhora a mobilidade e rastreabilidade no campo.

Aumento do controle da lavoura e produtividade

Já com informações precisas sobre o posicionamento e as dimensões da propriedade, pode-se controlar a lavoura de maneira bem mais eficiente.

Tendo o apoio de um bom sistema de gestão ERP para auxiliar o gestor a ter as informações realizadas no campo e associá-las aos talhões georreferenciados, é possível indicar as produtividades de sua fazenda e os talhões que foram mapeados.

Esse controle ajudará, é claro, a desenvolver planejamentos para aumentar a produtividade e aproveitar melhor o terreno.

Avanço na gestão do negócio

Outro benefício é o fato de que, conhecendo melhor o terreno onde se encontra sua empresa rural, você poderá exercer a gestão sem precisar estar fisicamente em campo o tempo todo.

Assim, será mais fácil coordenar a delegação de tarefas, pois você saberá exatamente qual área precisa ser melhor supervisionada. O passo seguinte é simplesmente traçar uma boa estratégia para organizar sua equipe de trabalho.

Principais dúvidas sobre o georreferenciamento

Fizemos uma lista com as principais dúvidas que os produtores rurais têm acerca dessa atividade. Esperamos que essas questões possam esclarecer de melhor forma esse assunto. Acompanhe!

Sou obrigado a realizar o georreferenciamento?

Desde o dia 21 de novembro de 2016, todas as propriedades rurais que contem com mais de 100 hectares estão obrigadas por lei a realizar o georreferenciamento. Os produtores que possuem áreas menores não têm essa obrigação, mas podem se beneficiar de programas do governo ao realizar o georreferenciamento de suas propriedades.

Posso georreferenciar meu imóvel mesmo não sendo obrigado?

Como dito, uma série de benefícios governamentais exigem o georreferenciamento, como o acesso ao crédito rural, do governo federal. Por isso, é comum que propriedades, mesmo que não sejam obrigadas por lei, optem a fazer o georreferenciamento de suas terras.

Quem executa esse serviço?

Existem diversos profissionais capacitados para executar este serviço. Contudo, para a validade do documento final, é essencial que o especialista seja habilitado em um dos CREAs do país e tenha credenciado pelo INCRA para realizar essa atividade.

As escrituras dependem do georreferenciamento?

Não, a escrituração de imóveis rurais não foi afetada pela lei que determina a obrigatoriedade do georreferenciamento. Ou seja, as escrituras continuam sendo realizadas nos cartórios e tabelionatos, sem nenhum tipo de impedimento.

Quais são as etapas do processo de georreferenciamento?

O processo de georreferenciar uma propriedade rural envolve etapas básicas como planejar, demarcar, medir, relatar e certificar. O profissional contratado para realizar o serviço deverá se encarregar de todas elas.

Qual a precisão exigida pelo INCRA?

O INCRA realizou a expedição da Portaria de nº 932/02 que, entre outros detalhes, trata também do nível de precisão exigido no georreferenciamento. Foi estabelecido que o erro máximo aceito seria de 50 cm para a determinação das coordenadas de cada vértice dos polígonos.

A tecnologia no georreferenciamento

No geral, a realização do georreferenciamento de propriedades rurais esbarra na dificuldade de realizar os procedimentos topográficos, devido o acesso à determinadas áreas ser custoso ao profissional e seus equipamentos.

No entanto, com as novas exigências por parte do INCRA, muitas empresas estão desenvolvendo  tecnologias para o uso no georreferenciamento de propriedades com o intuito de melhorar o processo e diminuir os custos para o agronegócio.

Nessa onda de novos equipamentos e tecnologias, a utilização de drones para o trabalho já é uma realidade, e ainda por cima, validado pelo próprio INCRA, que já se utilizou dessas ferramentas em seus próprios levantamentos topográficos.

O uso de veículos aéreos não tripulados é uma grande inovação na área de georreferenciamento e seus benefícios são o aumento da agilidade da realização dos trabalhos e os menores custos do serviços para o produtor rural.

Seja por obrigação legal ou por interesse próprio, o empreendimento rural precisa dar andamento ao georreferenciamento. Tendo em vista a complexidade do processo, o ideal é começar o quanto antes.

Tenha a certeza de que, mesmo que o resultado não chegue de imediato, ele não virá sozinho: trará também proteção contra dores de cabeça legais, além de uma grande vantagem competitiva para o gestor que tem visão estratégica.

O georreferenciamento da propriedade rural pode auxiliar o produtor a visualizar melhor a sua área e, assim, realizar um melhor aproveitamento de suas terras para maiores safras. Quer saber mais sobre o agronegócio no Brasil? Confira os 5 principais desafios do setor!