Controle de estoque: conheça as 6 melhores práticas

Controle de estoque: conheça as 6 melhores práticas

O estoque é uma peça fundamental para qualquer empresa. É graças a ele que as linhas de produção se mantêm ativas sem pausas, que o custo logístico de transporte é reduzido e que o preço da compra de mercadorias pode ser negociado graças à quantidade adquirida. Apesar disso, a gestão de estoque é comumente deixada de lado pelas organizações - o que, indiscutivelmente, é um grande problema.

É claro que a natureza do estoque interfere na forma como ele será gerido (alimentos e produtos químicos estão submetidos a regras e legislações completamente diferentes), mas isso não significa que algumas regras básicas não podem ser aplicadas a todos.

É sobre essas regrinhas, e dicas, que vamos falar hoje. Gostou do assunto? Então acompanhe a leitura!

1. Siga as normas de controle de estoque

Quando a empresa já tem normas sobre como o controle de estoque deve ser feito, o ideal é que tanto os gestores quanto os estoquistas sejam submetidos a elas. Isso evita problemas futuros como a perda de materiais, por exemplo.

2. Não seja refém do controle manual

Controlar um estoque manualmente é uma tarefa difícil: temos que lidar com uma grande quantidade de itens entrando e saindo do galpão e fica fácil se perder no meio disso tudo. Por isso, a melhor atitude a ser tomada é deixar as planilhas de lado e investir em automação, como aquela proposta pelos sistemas de gestão ERP.

3. Use a tecnologia para uma gestão Just in Time

Utilizando o modelo de gestão Just in Time o estoque pode se tornar estratégico para a empresa, deixando de ser apenas um depósito. A ideia desse sistema é fazer com que as coisas sejam feitas no momento em que são necessárias.

Isso significa que podemos integrar os setores de compra, produção e estoque por meio de um ERP, mantendo um estoque enxuto.

4. Faça um processo seletivo de primeira

O trabalho em estoques requer pessoas atenciosas, metódicas e muito organizadas. Para conseguir profissionais com esse perfil a empresa deverá investir no processo seletivo, inclusive incluindo uma bateria de testes psicológicos para mensurar atenção e personalidade dos candidatos.

5. Crie um zoneamento

Uma boa estratégia de controle de estoques é o zoneamento. A proposta é dividir o estoque de forma que sejam criadas “zonas” de atuação e delegar a gestão dessa área para um colaborador. Com cada pessoa cuidando de seu pedaço e sendo responsável pelo que acontece ali, a tendência é que os erros e o descontrole diminuam.

6. Seja meticuloso e utilize a burocracia a seu favor

Dada a natureza do trabalho feito em um estoque, a meticulosidade é essencial para evitar a perda de mercadorias e, consequentemente, prejuízos. Assim, é preciso anotar cada item que entra ou sai do estoque, bem como o que é usado dentro dele.

Esse registro é a segurança que o gestor tem sobre as coisas que acontecem. Algumas empresas até resolvem inovar nessa área e fazem uso de etiquetas com código de barras ou tecnologia de rastreamento.

Por mais cansativo e trabalhoso que seja o trabalho em estoques, eles não devem ser deixados de lado pela empresa. É sim necessário seguir regras nesse setor, registrar tudo e manter um nível burocrático adequado para ter controle de cada material que entra ou sai do ambiente.

Ao mesmo tempo, um controle de estoque bem-feito pode mudar a forma do setor atuar, tirando ele apenas da estocagem e transformando-o em uma forma de a empresa economizar ainda mais.

E aí, gostou do texto? Quer ser avisado quando mais conteúdos como este forem produzidos? Então assine nossa newsletter e receba por e-mail todas as novidades sobre o nosso blog!