Conheça quais são os principais custos de importação!

Muitos produtos são importados todos os dias para diferentes lugares. Para esse processo ocorrer dentro das normas, é preciso considerar os diversos custos de importação incidentes. Entretanto, muitas empresas não sabem quais são eles e como calculá-los.

A atenção nessa hora precisa ser redobrada com a questão de valores, já que há inúmeros fatores que afetam diretamente a precificação, o que pode trazer desvantagens se não forem planejados.

Neste artigo, trazemos todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. Os objetivos são apresentar o conceito, listar os custos de uma forma geral e mostrar como a tecnologia pode estar ao seu lado nesse momento. Confira!

O que são custos de importação?

Os custos de importação são aqueles cobrados a cada transação internacional. Eles precisam ser calculados e recolhidos corretamente conforme as esferas Municipal, Estadual ou Federal. Isso porque os impostos incidem sobre as mercadorias com alíquotas variáveis de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM).

Quais são os custos de importação?

Saber quanto pagará nas operações de importação é uma solução para melhorar a negociação e se ver livre de transtornos. Afinal, os valores impactam o processo e podem até impedir a negociação.

Ao entender a quantia a ser paga e o que é desnecessário, é possível evitar problemas. Por isso, veja quais são os principais custos de importação!

Valor do material/produto

É o preço do insumo ou do produto finalizado e importado. O valor é repassado ao fornecedor, ou seja, à indústria que comercializou e, consequentemente, deve influenciar o preço ao consumidor final.

Essa avaliação é um dos passos mais importantes na hora de negociar. Se o custo for alto, o importador deve perceber rapidamente, pois os seus clientes podem não estar dispostos a pagar a precificação justa, mas cara.

Impostos

São aqueles que incidem sobre as operações e pagos aos governos federal, estadual e municipal. Há apenas um tributo de compra de outros países, o Imposto de Importação (II), que tem alíquotas variáveis que dependem da mercadoria, variando entre 0% e 35%.

Contudo, existem outros tributos como:

• PIS e Cofins Importação: contribuições voltadas para o financiamento da seguridade social;

• Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS): é pago ao Estado, e a alíquota depende da origem e do destino do produto;

• Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS): reflete em 5% sobre a prestação de serviços provenientes do exterior ou que tenha começado fora do país;

• Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): é aplicado um valor lançado anualmente em uma tabela específica sobre os itens industrializados nacionais ou estrangeiros.

Frete internacional

Corresponde ao que é pago para trazer uma mercadoria de fora do Brasil. O frete pode ser aéreo, custando U$ 7.600, ou marítimo, cobrado conforme a quantidade. Também há o frete doméstico, aquele que é transportado do porto até o destino.

Despesas aduaneiras

As importações de cargas acima de U$ 3 mil exigem cadastro no RADAR Siscomex e despachante aduaneiro. Os custos podem variar conforme a complexidade do serviço e do volume de produtos importados. Por isso, a média é de R$ 800 a R$ 1.500 por operação.

Seguro da carga

Não é obrigatório, mas os especialistas recomendam, principalmente para as mercadorias de alto valor, considerando que imprevistos podem acontecer na operação. Nesse caso, o custo oscila entre 0,5% a 2% do valor da carga, mas compensa com a garantia de repor os prejuízos, caso ocorram.

Como calcular os custos de importação?

Além de classificar o produto importado para definir a sua alíquota de acordo com a NCM, é necessário incluir corretamente outros valores que entram no cálculo dos tributos. Ainda, vale ressaltar o valor do frete, o seguro e as despesas aduaneiras.

Isso significa que, no Brasil, os impostos incidem um sobre o outro, igual efeito cascata. Por exemplo, com a classificação correta, é possível identificar se há redução nos valores de IPI, ICMS e II.

Também é importante prestar atenção à legislação em vigor. Alguns produtos dependem da aprovação dos órgãos governamentais, como o Ministério da Agricultura, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), entre outros.

Essa anuência pode comprometer o prazo para a realização do desembaraço, o que afeta os custos de armazenagem, por exemplo. Como consequência, a venda final pode se tornar cara para o consumidor.

Nesse cenário, o planejamento dos custos de importação e a análise das normas pertinentes ao assunto são indispensáveis para qualquer um que deseja importar. Estar ciente sobre eles é uma forma de otimizá-los.

Como o ERP ajuda no cálculo dos custos de importação?

Uma coisa não podemos negar: há inúmeros detalhes para serem planejados quando o assunto é importação de produtos. Com a quantidade excessiva de impostos no país, os custos devem ser calculados corretamente para evitar prejuízos.

O uso de um ERP ajuda nessa tarefa com a redução de retrabalho ao minimizar erros. Graças ao sistema integrado, com levantamento de taxas e tributos em tempo real, você pode contabilizar de maneira detalhada e antecipada os gastos com a importação de uma mercadoria.

Sem contar que a ferramenta auxilia na criação do planejamento financeiro e logístico com margens de erro, de lucro etc. Ainda, insere dados como benefícios fiscais concedidos por alguns estados brasileiros, o que permite a redução de custos, além de assegurar a segurança jurídica.

E não são somente essas vantagens na gestão tributária. Podemos citar:

• a identificação de melhores condições comerciais;

• o levantamento do custo da importação;

• o cálculo dos valores do frete e do seguro;

• a cotação com vários fornecedores;

• a análise da viabilidade da importação;

• a negociação da melhor operação;

• o gerenciamento do processo de importação;

• o recebimento e o envio de documentos para o despacho aduaneiro;

• a integração de impostos diretamente do Siscomex;

• a geração de notas;

• o pagamento e o fechamento do câmbio;

• a emissão de relatórios sobre o processo.

Com o entendimento claro sobre o que são os custos de importação, a sua empresa pode realizar as operações sem preocupações com possíveis problemas. Basta calcular da forma correta e usar a tecnologia a seu favor para trazer eficiência ao procedimento.

Entre em contato com nosso time de especialistas e entenda mais sobre como o nosso ERP apoia na otimização dos custos de importação do seu negócio!